A propósito de um excerto d’O Principezinho.

“Adeus – disse a raposa. Vou contar-te o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração, o essencial é invisível para os olhos.”,

A citação d’O Principezinho de Antoine Saint-Exupéry remete-nos para a fraternidade, a generosidade e para o amor. A lição da raposa é a mesma que podemos extrair dos EUA no pós-guerra na Europa e no Japão, a mesma que extraímos da ação de Ghandi na Índia ou de Mandela na África do Sul.

Num continente, anteriormente dominado por ódio, sentimentos de esperança e motivações de igualdade renasceram, porque a comunidade internacional soube como apelar a essa mesma visão a que a raposa se refere. Assim fez Ghandi quando decidiu rejeitar a luta física, mudando a perspetiva de uma população, tal como Mandela, que perdoou as maiores atrocidades humanas.

A conclusão da raposa é exatamente essa: por vezes, os sentimentos que nos dominam, fruto daquilo que vemos e ouvimos, precisam de ser suprimidos por aquilo que há de mais puro na raça humana, o Amor.

aluno do 11.º 31

Docente| Micaela Martins

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s